Perigos de intoxicação por monóxido de carbono

Todos os anos em Portugal, entre os vários acidentes domésticos que ocorrem, muitos são provocados por intoxicação por monóxido de carbono. Estes acidentes são a causa de uma centena de mortes, e que com medidas preventivas adequadas podem ser evitadas.

Os gases responsáveis pela intoxicação.

A intoxicação por gás doméstico é rara, porque o gás contém um odor que permite que uma fuga seja rapidamente detetada, podendo-se assim adotar as medidas preventivas adequadas.

No entanto, o monóxido de carbono é um gás sem odor e que é difícil de detetar, provocando a intoxicação. Numa avaria de um aparelho de aquecimento ou de um motor de combustão, seja qual for o combustível (madeira, petróleo, etanol, gás, gasolina, carvão, entre outros), o monóxido de carbono fixa-se nas moléculas do sangue responsáveis pelo transporte de oxigénio. Durante uma intoxicação, a pessoa morre asfixiada porque o seu sangue já não consegue anexar oxigénio.

Evite acidentes relacionados com o gás doméstico

  • Certifique-se que os cabos de ligação estão em bom estado. Os cabos têm uma validade limitada, estando por norma identificada na superfície externa;
  • Inspecione regularmente as suas instalações (esquentadores, caldeiras, fogão, entre outros) para detetar as peças que têm que ser substituídas. Se possível, coloque a sua caldeira ou esquentador num local ventilado (garagem, abrigo específico, entre outros);
  • Não se esqueça de fechar o abastecimento de gás após a utilização;
  • Certifique-se regularmente que o ar circula na sua casa (pelo menos 15 minutos de manhã e à noite, mesmo no inverno).

Evite acidentes com o monóxido de carbono

É essencial conhecer e aplicar medidas de prevenção de uma intoxicação por monóxido de carbono, devido à sua gravidade.

  • Anualmente, quando o inverno estiver a chegar, verifique todos os seus aparelhos de aquecimento por combustão: caldeiras e esquentadores de água, fogões, fornos, lareiras, aquecimento central, aquecedores, entre outros. Verifique e solicite ajuda técnica especializada para a limpeza da sua chaminé e exaustor;
  • Certifique-se de que o ar circula diariamente na sua casa. Nunca obstrua as entradas e saídas de ar (grelhas de ventilação, cozinha, casa de banho ou janelas);
  • Nunca utilize de forma continuada os aquecedores móveis. Siga as instruções do fabricante. Não utilize os equipamentos que emanam calor que não estejam projetados para essa finalidade (fogão, forno, entre outros);
  • Os equipamentos cujo motor é de combustão (geradores, bombas de calor, entre outros) deverão ser sempre instalados no exterior.

Quais os principais sinais da intoxicação?

Os primeiros sinais de intoxicação por monóxido de carbono são as dores de cabeça, náuseas e fadiga. Estes sintomas ocorrem lentamente. Se a exposição ao monóxido de carbono se mantiver, a pessoa começa a sentir tonturas, distúrbios de comportamento, perda de consciência e em seguida entra em coma e morre. Durante o sono, estes sintomas não são suficientemente fortes para acordar a pessoa, e consequentemente os alertas não são sentidos, causando a morte.

O que se deverá reter para evitar os perigos de intoxicação por monóxido de carbono:

  • Deixe circular o ar na sua casa: certifique-se que as grelhas de ventilação não estão obstruídas;
  • Os aquecedores portáteis são destinados a utilizações de curtos períodos de tempo;
  • Anualmente recorra a técnicos especializados para verificar as suas instalações.

O conteúdo deste artigo é meramente informativo.