Prevenção do Cancro da Mama

A investigação demonstra que determinados factores de risco aumentam a probabilidade de uma pessoa vir a desenvolver cancro.

Globalmente, os factores de risco mais comuns para o cancro, são:

  • Envelhecimento;
  • Tabaco;
  • Luz solar;
  • Radiação ionizante;
  • Determinados químicos e outras substâncias;
  • Alguns vírus e bactérias;
  • Determinadas hormonas;
  • Álcool;
  • Dieta pobre, falta de actividade física ou excesso de peso.

Muitos destes factores de risco podem ser evitados. Outros, como por exemplo a história familiar, não podem e para tal, é importante referir sempre ao médico quaisquer dados clínicos familiares relevantes que existam na família. 

Relativamente aos factores de risco conhecidos, que não sejam "familiares" (como a exposição excessiva à luz solar, o tabaco, o álcool, a dieta rica em gorduras, a falta de exercício físico, etc.) deve, sempre que possível, evitá-los. Se pensa que pode apresentar risco aumentado para ter cancro, deverá discutir essa preocupação com o médico; poderá saber como reduzir o risco e qual será o calendário ideal para fazer exames regulares.

Com o passar do tempo, vários factores podem agir conjuntamente, para fazer com que células normais se tornem cancerígenas.

Quando se avalia o risco de ter cancro, devem sempre considerar o seguinte:

  • Nem tudo causa cancro;
  • O cancro não é causado por uma ferida, um inchaço ou uma equimose;
  • O cancro não é contagioso: ninguém apanha cancro de outra pessoa;
  • Estar infectado com um vírus ou bactéria poder aumentar o risco para alguns tipos de cancro;
  • Se tiver um ou mais factores de risco, não quer dizer que venha a ter cancro; a maior parte das pessoas que têm factores de risco nunca irá desenvolver cancro;
  • Algumas pessoas são mais sensíveis que outras, aos factores de risco conhecidos.

Vencer o cancro está ao nosso alcance!

Adopte um estilo de vida saudável:

  • Pelo menos um terço dos tipos mais comuns de cancro pode ser prevenido através da cessação do consumo de tabaco, redução do consumo de álcool, adoção de uma alimentação saudável e da prática de exercício físico;
  • A eficácia destas medidas será tanto maior quanto mais precocemente se inicie, preferencialmente logo na infância.

Faça um diagnóstico precoce:

  • Isto pressupõe o conhecimento dos sintomas de alerta para o cancro, nomeadamente dos mais frequentes - incluindo mama, colo do útero, colorretal, pele e oral;
  • No caso particular dos cancros da mama, colorretal e do colo do útero, há evidências científicas que suportam a instituição de programas nacionais de rastreio de base populacional.

Fonte: Liga Portuguesa Contra o Cancro