Prevenção do Cancro da Mama

O cancro da mama é uma das doenças com maior impacto na nossa sociedade, não só por ser muito frequente, e associado a uma imagem de grande gravidade, mas também porque agride um órgão cheio de simbolismo, na maternidade e na feminilidade.

O cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres (não considerando o cancro da pele), e é a segunda causa de morte por cancro, na mulher.

A mama é formada por milhões de células que estão constantemente a ser renovadas e substituídas.

O cancro da mama surge quando 1 simples célula começa a multiplicar-se fora de controlo.

 

Em Portugal:

  • Anualmente, são detectados cerca de 6.000 novos casos de cancro da mama
  • 1 em cada 12 mulheres portuguesas poderá vir a ter cancro da mama ao longo da vida;
  • 1.500 mulheres morrem com esta doença, por ano;
  • cerca de 1% dos cancros da mama é no homem;
  • cerca de 95% são curáveis quando detectados precocemente.

A detecção precoce do cancro da mama começa em casa com uma vigilância mamária. Seja cuidadosa com o seu corpo, examine-o com regularidade, e não esqueça que os seus seios são glândulas mamárias e que podem sofrer alterações dependendo da altura do mês e da idade.

Mantenha-se alerta e ajude a salvar a sua vida!

 

Pontos essenciais na vigilância mamária:

  1. Saiba o que é “normal” em si
  2. Saiba que alterações deve procurar sentir
  3. Olhe e sinta
  4. Fale sobre todas as alterações com o seu médico e sem demoras

Que alterações devo procurar?

  • Qualquer alteração na mama ou no mamilo, quer no aspecto quer na palpação;
  • Qualquer nódulo ou espessamento na mama, perto da mama ou na zona da axila;
  • Sensibilidade no mamilo;
  • Alteração do tamanho ou forma da mama;
  • Retracção do mamilo (mamilo virado para dentro da mama);
  • Pele da mama, aréola ou mamilo com aspecto escamoso, vermelho ou inchado; pode apresentar saliências ou reentrâncias, de modo a parecer "casca de laranja";
  • Secreção ou perda de líquido pelo mamilo.

Apesar dos estádios iniciais do cancro não causarem dor, se sentir dor na mama ou qualquer outro sintoma que não desapareça, deve consultar o médico.

Na maioria das vezes, estes sintomas não estão associados a cancro, mas é importante ser vista pelo médico, para que qualquer problema possa ser diagnosticado e tratado atempadamente.
 

O caminho mais curto para a cura do cancro é mesmo a Prevenção!

  • A Prevenção Primária é a que pode ser feita por todos, alterando hábitos de vida pouco saudáveis.
  • A Prevenção Secundária é a que se faz através de Programas de Rastreio que já existem.

 

 Fonte: Liga Portuguesa Contra o Cancro e Movimento Vencer e Viver