Varicela: uma doença altamente contagiosa

A varicela é certamente a doença mais contagiosa da infância. Na maioria das vezes benigna, afeta especialmente crianças dos três meses aos dez anos.

O que é a varicela?

A varicela é causada pelo vírus varicela-zoster, um vírus da família do vírus herpes. É transmitida pela saliva, através do ar, quando a pessoa infetada tosse, espirra ou fala e pelo contacto com as lesões da pele ou materiais contaminados. Uma pessoa pode contagiar outra/s desde 3 a 4 dias antes do aparecimento das vesículas até a última crosta ser formada.

Quais são os sintomas da varicela?

Nos primeiros dias, pode observar-se, entre outras coisas, uma febre moderada, dores de cabeça, tosse ligeira e o nariz a pingar. Um pouco mais tarde, pequenas manchas vermelhas aparecem na face e tronco, juntamente com a comichão. Estas estendem-se por todo o corpo e tornam-se pequenas vesículas contendo um líquido claro extremamente contagioso.

Passados mais ao menos dois dias, as borbulhas secam e formam uma crosta que eventualmente cai, deixando uma cicatriz vermelha e branca que desaparece em poucos meses. Quando a doença é curada, o vírus permanece dormente em alguns gânglios nervosos.

Em caso de grande fadiga, de infeção ou enfraquecimento do sistema imunitário, a doença pode reaparecer e causar uma nova erupção de vesículas localizadas, o herpes zoster (zona). No entanto, os casos de reaparecimentos são muito raros.

Quais são as complicações da varicela?

As complicações da varicela são raras: infeção bacteriana da pele (no caso de coçar), meningite ou infeção cerebral acompanhada de tonturas.

Quais são os tratamentos para a varicela?

Dependendo dos sintomas do/a seu/sua filho/a, o/a médico/a poderá prescrever desinfetantes cutâneos ou anti-histamínicos contra a comichão. Por vezes é necessário aliviar a febre com um paracetamol (aspirina ou ibuprofeno).
Alguns exemplos de tratamentos são:

  • Cortar e escovar com sabão as unhas da criança;
  • Tomar duches em vez de banhos de imersão (o contacto prolongado com a água impede a secagem das crostas). 
  • Os duches podem ser tomados de 4 em 4 horas para alívio da comichão, evitando que a criança se coce (quanto mais coçar, pior). Após o banho, tenha o cuidado de enxugar o corpo com uma toalha macia, evitando esfregar;
  • Fazer uma limpeza antissética das borbulhas, uma vez por dia.

Como prevenir a varicela?

Existe uma vacina contra a varicela, reservada para crianças cuja imunidade é deficitária. A Imunoglobulina (anticorpos anti varicela) pode ser administrada em mulheres grávidas que nunca tiveram varicela. Na verdade, ter varicela durante a gravidez aumenta o risco de anomalias no feto ou de infeção grave no recém-nascido.

Se um caso de varicela ocorrer na escola ou infantário, não é necessário impedir o/a seu/sua filho/a de a frequentar (só se este for o doente – nesse caso deve ficar em casa até todas as borbulhas já estarem em crosta, secas). Se as crianças forem saudáveis é preferível que a doença se manifeste durante a infância do que na adolescência ou em fase adulta, podendo a doença ser então mais grave.

Caso sejam crianças com problemas de saúde, como doenças crónicas, uma vez detetada a doença deverá consultar imediatamente um/a médico/a.

Os adultos que nunca tiveram varicela podem ser vacinados nos três dias seguintes ao contacto com uma criança com esta doença. No entanto, é preferível evitarem o contacto com a criança infetada. Como a maioria das pessoas tem varicela na infância ou está imune sem manifestação de sintomas, à partida não haverá motivos para preocupação.
 
 
O conteúdo deste artigo é meramente informativo e não dispensa a consulta de um médico.